terça-feira, agosto 26, 2008

Divagando!

Como em todo festejo há uma parte que digamos, é de dar vergonha alheia e com o casamento não seria diferente!

Vocês já pararam para pensar qual é a parte que dá vontade de se esconder atrás da mesa de bolo e só sair depois que apagarem as luzes?

Hum! Eu já! A tradição de jogar o buquê para as amigas que ainda não encontraram a cereja de seus sundaes!

É um momento crítico! A maioria já está num grau alcóolico de deixar qualquer bafômetro zuretinha, se tornando esse ritual num ato de vida ou morte para cada uma das participantes, deixando até o videomaker acanhando de estar eternizando aquele momento.

Não importa a idade, o nível social ou intelectual! Não citarei nomes, pois seria condenada a lavar toda a louça das reuniões familiares, mas já presenciei uma mulher linda, secretária executiva de uma multi-nacional dando "peixinho" na pista de dança por esse objeto de desejo. Não posso negar que ela foi a próxima a se casar!

E para meu trauma se eternizar, já fui obrigada a participar desse verdadeiro ato de volta aos tempos que as mulheres não queimavam soutiens em praças públicas!

Agora estão jogando até sapo de pelúcia... Confesso que amo essas coisinhas verdes fofas! Mas e as que ainda não se casaram, mas já tem um príncipe?

Bem faz quem presenteia a mãe, sorteia o buquê ou segue a tradição dos los hermanos de puxar a fitinha com a aliança do bolo!

Cá entre nós, se é para participar de algum ato profético, prefiro meu nome na barra do vestido de alguma noivinha!

3 comentários:

Inês disse...

Nem com empurrão tento pegar o buquê da noiva, tenho medo da multidão e de seus saltou finos ai meus dedos! Mas sabe que adoraria ganhar aquele sapo, quem sabe depois de tanto beijá-lo meu princípe não aparece. srsrsr

Binha disse...

Miga, sempre tive medo dessa cena kakaka, onde ocorre a maior parte dos videocassetadas kkk

Beijos.

Renata Rainho disse...

nada de colocar nome me barra de vestido que não dá certo! bj